Vida de Modelo: PABLO MORAIS


De tempos em tempos, um novo galã surge na TV. Grave o nome (e o rosto!) de Pablo Morais. O goiano de 19 anos é a nova aposta da Globo para ocupar o posto de bonitão da vez. Modelo, fotógrafo, atleta e ator, Pablo vai fazer sua estreia na televisão na série "Suburbia", de Luiz Fernando Carvalho na pele de Bacana, um juiz jovem e mau caráter com pinta de James Dean. “Fico orgulhoso com a comparação, afinal, James Dean é meu ídolo, mas, tirando a jaqueta de couro, não tenho nada de bad boy”, diz Pablo. E não tem mesmo! Bem humorado e disciplinado, Pablo começou desde cedo a trilhar o caminho que queria seguir. Seu destino? Hollywood! “Estou me preparando, não adianta querer pular degraus”, afirma o rapaz. Conheça Pablo Morais!
Desde pequeno, Pablo demonstrava interesse pelas artes: “comecei bem cedo. Aos 9 anos fazia tecido acrobático e balé”, conta. Entre idas e vindas de temporadas de férias no Rio, aos 11 anos, a família do rapaz se mudou de Goiânia para o Rio, onde o gosto pelas artes se intensificou: “com 11 anos vim morar no Rio e aos 14, 15 anos comecei a trabalhar como modelo, mas em paralelo também fazia teatro com o Guti Fraga, no grupo Nós no Morro, e um curso do Suassuna”, diz Pablo. A busca por conhecimento sempre motivou o rapaz, que fará parte do documentário sobre o escritor Caio Fernando Abreu, inspirado em sua obra "Pra sempre teu, Caio F.". Com estreia prevista para outubro, quem assina o documentário é a jornalista Paula Dip, diretora, roteirista e amiga pessoal de Caio. “Em 2010 passei uma temporada em São Paulo com a Paula Dip e gosto de dizer que foi uma experiência de intercâmbio intelectual. Paula é como uma mãe para mim. Com ela, li muito Caio Fernando Abreu, vi a trilogia do "Poderoso Chefão" e voltei pro Rio com a cabeça diferente. Daí fui estudar no Laura Alvim, com Daniel Herz, e também fiz minha estreia no CCBB com a peça ‘Os sete pecados capitais’”, explica.

Pablo modelo: trabalhos com Terry Richardson, Bruce Weber e Mario Testino
O trabalho de modelo sempre correu em paralelo as outras atividades de Pablo, que já trabalhou com fotógrafos consagrados como Mario Testino, Terry Richardson e Bruce Weber. “Meu primeiro trabalho importante como modelo foi há uns cinco anos, com Michael Roberts e Alinne Moraes para a Vanity Fair Italia. Depois fiz a Visionaire ao lado da Izabel Goulart, com o Mario Testino e na temporada passada fiz o catálogo da Blue Man com o Terry Richardson. Recentemente voltei de uma temporada em Miami, onde estava fotografando com Bruce Weber para a Moncler. Fiz também a campanha da Vivara ao lado de Laura Neiva, com a dupla Mert & Marcus”, conta o rapaz.
Esperto, Pablo aproveitou a temporada que morou em Nova York para incrementar o currículo de ator e também fazer contatos no mundo fashion: “morei um tempo em Nova York porque queria estudar inglês e procurar cursos livres de interpretação. Fui a muitos lugares, até no Actors Studio, mas também acabei encontrando o Terry Richardson por lá e fizemos várias fotos. Acabei me enturmando com a galera dele”, lembra. Foi justamente nessa época que surgiu a oportunidade de estrear na Globo, em Suburbia. “Já estava com apartamento montado em Nova York quando meu agente me ligou falando sobre o projeto do Luiz Fernando Carvalho na Globo e que eles estavam interessados em mim para um papel. Em dois dias já tinha fechado tudo em Nova York e voltei pro Rio”, lembra.


Pablo ator: estréia em Suburbia a la James Dean
A decisão de Pablo não poderia ter sido mais acertada. Em novembro ele faz seu début na TV como Bacana, um jovem juiz mau caráter  na série da TV Globo, Suburbia. “O Bacana é um personagem sem pudor e muito impulsivo. Ele é um juiz, de família boa, mas mau caráter” adianta Pablo. No figurino de Bacana, a jaqueta de couro é essencial e compõe, junto com a moto, o lado bad boy do personagem, que vem rendendo comparações com James Dean. Pablo não se intimida: “ele é meu ídolo e fico orgulhoso com a comparação. Talvez ela venha pelo fato de usar moto e vestir jaqueta de couro, mas fora a jaqueta, que já se tornou praticamente um órgão do meu corpo, de tanto que uso, não tenho nada de bad boy”, afirma.
“Isso de ser ator já nasce com a gente e uma hora tem que sair. A carreira de modelo foi uma consequência. Segui porque estava bombando e precisava trabalhar. Mas sempre fui atleta e acho que de alguma maneira, uma coisa puxa a outra. Estou me lapidando”, analisa Pablo. Apesar do foco na carreira de ator, os dias como modelo não estão acabados e a relação do rapaz com a moda promete ser longa: “acabo acompanhando o mundo da moda involuntariamente porque tenho muitos amigos no meio e vira e mexe estou fazendo trabalhos. Apesar do foco ser minha carreira de ator, acho que nunca vou deixar de trabalhar com moda”, afirma.


Johnny Depp e Bob Dylan são referências de estilo
Por falar em moda, quando se trata de estilo, Pablo tem se sobra. Pudera, suas referências são Johnny Depp e Bob Dylan: “adoro anéis, pulseiras, lenços e botas. Uso peças que tenham valor sentimental para mim, que tenham uma história”, conta. No entanto, os itens queridinhos do guarda-roupa de Pablo não são os acessórios: “Se meu guarda-roupa pegasse fogo, salvaria minha camisa social preta, meus óculos redondos e minha Dr. Martens, que já praticamente anda sozinha”, brinca.

Cidadão do mundo
Com apenas 19 anos, Pablo analisa a experiência de morar em cidades com perfis tão diferentes quando Goiânia, Nova York e Rio: “meu lado goiano sente um pouco de falta do contato com os animais. Fui criado correndo pelas fazendas, acostumado a criar galinhas e a pisar em bosta de cavalo. Em NY aprendi a ser profissional, a trabalhar rápido e direito. Não importa a área em que se trabalha do garçom ao executivo, lá todos são pontuais. Mas o Rio é a minha cara. Aprendi a ser artista aqui. Gosto da praia, das pessoas, do carnaval, do subúrbio, das coisas simples que entraram em mim e que agora não consigo mais ficar longe. Sou um goiano de alma carioca”, brinca.
  
Destino Hollywood
Enquanto não se torna astro de Hollywood, Pablo gosta de ler Caio Fernando Abreu em voz alta nas horas vagas e passar o texto da próxima novela das sete, Guerra dos Sexos, com a atriz Mayana Moura, sua irmã de criação. “É muito divertido quando estamos juntos, sempre estamos rindo e brincando. Ela me ajuda muito, temos muita coisa em comum”, conta Pablo.
Determinado a ficar no Rio e investir em sua carreira de ator, Pablo tem planos de fazer cinema: “Meu sonho é fazer cinema, primeiro no Brasil e depois em Hollywood. Estou me preparando para quando chegar o momento eu fazer o meu melhor. Não adianta eu querer pular degraus”. Preparado para o assédio? “É uma consequência da profissão, não tem como não trabalhar com a mídia. Com calma e respeito, a gente vai levando”, afirma



Comentários